Carnaval é boa oportunidade para usar as habilidades socioemocionais

Competências relacionadas à tomada de decisões responsáveis, empatia, resiliência e abertura para o novo são importantes para saber aproveitar a festa da melhor forma

A proximidade do carnaval pode significar um bom momento para colocar em prática a aprendizagem socioemocional e exercitar o autoconhecimento, o autocontrole, a empatia e as decisões responsáveis. Como é um período em que pode ocorrer excessos, controlar as emoções torna-se especialmente importante para evitar eventuais desentendimentos e proporcionar um clima mais tranquilo e divertido para todos.

“As competências socioemocionais estão em tudo o que a gente faz, dizem muito sobre nossa personalidade e são fundamentais para vivermos qualquer experiência”, diz Fernanda de Morais Silva, professora responsável por aplicar o Programa Semente, de aprendizagem socioemocional, no Colégio Mater Amabilis. “Quanto mais conscientes estivermos dessas competências, mais poderemos usá-las com sabedoria”.

No domínio da autogestão, ela cita a questão da tomada de decisões responsáveis, que significa avaliar as consequências das escolhas que fazemos. “Dá para curtir o carnaval, mas de forma responsável. No bloquinho, pode acontecer, por exemplo, o acesso a bebidas alcoólicas a menores de idade. Mas cabe avaliar as consequências e considerar que pode não ser o melhor caminho para a aproveitar o carnaval.”

Na competência da organização, vale lembrar dos cuidados que se deve ter para guardar o dinheiro, o documento e o celular em um lugar seguro. E o planejamento para ir à festa e, principalmente, voltar para casa com segurança.

Em relação ao engajamento com as outras pessoas, a professora lembra de duas competências socioemocionais: o entusiasmo e a amabilidade. “Entusiasmo é a cara do carnaval. Sabemos que o país não está num momento fácil, mas poder aproveitar coletivamente essa festa nacional é muito importante. É uma ocasião para celebrar a alegria de viver com os amigos, fazer uma fantasia, dançar e se divertir”, afirma Fernanda. Já a amabilidade inclui a empatia e o respeito pelo outro. “Em situações de multidão na rua ou no transporte coletivo lotado é necessário respeitar o espaço e o corpo alheios”.

A resiliência emocional é outra competência bastante necessária em ocasiões como o carnaval, segundo Fernanda, pois diz respeito à capacidade de tolerar stress e frustração. “É preciso saber lidar com as adversidades para não estragar o carnaval, pois haverá filas para comprar as coisas e usar os banheiros químicos, enfim, perrengues diversos, e ninguém quer ser a pessoa que fica reclamando o tempo todo”.

Ela também destaca o domínio da abertura para o novo, que envolve as competências da imaginação e do interesse artístico. “É usar a criatividade para fazer a própria fantasia, em vez de comprá-la pronta, e saber apreciar o desfile de uma escola de samba”, exemplifica.

Para aqueles que não gostam de carnaval e querem aproveitar o tempo livre para focar nos estudos, mais uma vez a aprendizagem socioemocional pode ser aplicada em relação às decisões responsáveis. “É preciso ter maturidade emocional para saber lidar com as escolhas e não comparar o seu carnaval com o dos outros. Não adianta decidir estudar, mas ficar olhando o Instagram o tempo todo para ver a festa. Do mesmo modo, não dá para ir ao bloquinho e depois se culpar. Cada um tem que bancar a sua escolha e estar presente de corpo e alma”.

Mas, segundo ela, é possível conciliar as coisas. “Nesse feriado prolongado, sobretudo para os alunos do Mater Amabilis, que emendam toda a semana, dá para se planejar e fazer um pouco de tudo — divertir-se, descansar e estudar”, finaliza a professora.